Nova linhagem do coronavírus faz Brasil proibir voos do Reino Unido

Nova linhagem do coronavírus faz Brasil proibir voos do Reino Unido

25 de dezembro de 2020 0 Por Francisco Avelino

Norma restringe ainda a entrada de estrangeiros de qualquer nacionalidade por rodovias e outros meios terrestres ou transporte aquaviário

Aviso no terminal 3 do Aeroporto Heathrow, em Londres, indica que voos foram cancelados; países de diferentes regiões do mundo vetaram rotas com origem no Reino Unido temendo disseminação de nova variante do Sars-CoV-2 Foto: NIKLAS HALLE’N / AFPNewsletters

BRASÍLIA — O governo proibiu voos internacionais para o Brasil que tenham origem ou passagem pelo Reino Unido. Uma portaria com as determinações foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União na noite desta quarta-feira. A regra começa a valer em 25 de dezembro.

A norma restringe ainda a entrada de estrangeiros de qualquer nacionalidade por rodovias e outros meios terrestres ou transporte aquaviário.

LEIA MAIS: Governadores pedem suspensão imediata de voos do Reino Unido, Dinamarca, Holanda e Austrália

Com a publicação da portaria, o Brasil passa a integrar o grupo de mais de 40 países que já fecharam sua portas ao Reino Unido após a descoberta de uma nova cepa do coronavírus na região. Nesta quarta-feira, autoridades britânicas anunciaram a identificação de outra nova variante do vírus que parece ser mais transmissível.

Apesar de uma pressão crescente, o governo brasileiro vinha resistindo a tomar essa decisão, em um jogo de empurra entre as autoridades do país. Os ministérios jogavam a responsabilidade uns para os outros ao serem questionados, ao longo desta semana, se iriam se juntar aos países que proibiram os voos do Reino Unido.

Nesta terça, o Consórcio de governadores do Nordeste enviou um ofício ao ministro da Saúde Eduardo Pazuello pedindo a suspensão dos voos diretos com origem ou destino no Reino Unido, Dinamarca, Holanda e Austrália.

OPINIÃO DE ESPECIALISTA: Mutação do coronavírus detectada no Reino Unido ‘certamente já circula no Brasil’, diz sanitarista

Além de proibir os voos, a portaria editada pelo governo brasileiro estabelece ainda restrições a viajantes estrangeiros, procedentes ou com passagem pelo Reino Unido nos últimos 14 dias. Eles terão temporariamente suspensa a autorização de embarque para o Brasil.

As restrições da portaria não se aplicam ao brasileiro nato ou naturalizado, imigrantes com residência definitiva, profissionais estrangeiros a serviço de organismo internacional, entre outras exceções. Nesses casos, se o viajante tem origem ou passou pelo Reino Unido, deverá cumprir quarentena por 14 dias ao ingressar no território brasileiro.

E AINDA: Nova linhagem com mutação do vírus da Covid-19 é descoberta no Rio

Segundo a portaria, quem descumprir as regras está sujeito a responsabilização civil, administrativa e penal; repatriação ou deportação imediata; e inabilitação de pedido de refúgio.

Teste negativo para entrar no país

Brasileiros ou estrangeiros, vindos de qualquer lugar, deverão apresentar à companhia aérea responsável pelo voo, antes do embarque para o Brasil, o teste laboratoria lRT-PCR com resultado negativo ou não reagente, realizado nas 72 horas anteriores ao momento do embarque. Essa regra passa a valer a partir do dia 30 de dezembro.

O resultado do teste deverá ser apresentado em português, espanhol ou inglês e tem que ser realizado em laboratório reconhecido pela autoridade de Saúde do país do embarque. Se o voo tem conexões ou escalas e o viajante permanecer em área restrita do aeroporto, o prazo de setenta e duas horas será considerado em relação ao embarque no primeiro trecho da viagem.

Crianças com menos de 12 anos acompanhadas estão isentas de apresentar o teste, desde que todos os acompanhantes apresentem seus documentos com resultado negativo. Aquelas com idade igual ou superior a dois e inferior a 12 anos que estejam viajando desacompanhadas deverão apresentar o teste. Já as menores de dois anos não precisam fazer o exame.

Fonte: O Globo.com