Prefeitura reforça maquinário para acelerar abertura do canal da Barra

Prefeitura reforça maquinário para acelerar abertura do canal da Barra

19 de fevereiro de 2021 0 Por Francisco Avelino

O trabalho de abertura do canal da Barra de Maricá, com o objetivo de levar a oxigenação necessária ao sistema lagunar da cidade, teve nesta quinta-feira (18/02) o reforço de mais máquinas retroescavadeiras para retirar a areia do fundo da passagem. No total, dez máquinas atuam no canteiro em dois turnos, das 8h à meia-noite, para acelerar a chegada do espelho d’água até próximo ao mar e possibilitar a ligação das águas. A conclusão deve ocorrer nos próximos dias.

Para o secretário de Agricultura, Pecuária e Pesca de Maricá, Julio Carolino, o resultado da abertura do canal é sempre muito benéfico para as lagoas. “A quantidade de espécies que vem das águas marinhas é sempre grande e enriquece o sistema, principalmente de camarão e crustáceos. O pescador se beneficia porque conta com mais pescado de espécies variadas”, afirma Julio, citando a tilápia, a tainhota e o parati como espécies mais comuns de se encontrar.

Esta é a terceira vez, desde 2019, que a ligação do mar com o sistema lagunar de Maricá é aberta também para melhorar sua oxigenação, sempre entre os meses de fevereiro e março. Na última segunda-feira (15/02), o oxigênio reduzido em parte das lagoas causou a mortandade de peixes próximo à orla de Jacaroá, de onde foram recolhidas cerca de três toneladas de peixes mortos.

“Um dos objetivos da abertura é justamente evitar essa mortandade pela falta de oxigenação”, explica o secretário de Cidade Sustentável de Maricá, Hélter Ferreira. “A intenção é sempre renovar as águas a partir da lagoa da Barra, que é o pulmão do nosso sistema lagunar. Estamos acompanhando esse trabalho através da observação da tábua da maré. Quando o avanço do espelho d’água for concluído e a água do mar estiver alta, aí poderemos abrir”, esclareceu.

Neste século, houve ainda duas ocasiões em que o canal foi aberto por causa de enchentes na cidade. A primeira em 2010, depois da forte chuva que atingiu toda a região metropolitana do Rio; depois, uma nova abertura foi feita em 2016 após outra enxurrada cair sobre Maricá e causar inundações em diferentes pontos da cidade.