Afaste de mim esse CALE-SE!

Afaste de mim esse CALE-SE!

17 de maio de 2020 0 Por Francisco

Texto: Por Alan Christi

Em determinada época, neste país, já acreditaram que a vida era algo mais precioso do que tudo. E de fato é. Porém, ela só é plena com liberdade. Apenas há poucas décadas, quando a sociedade começou a retomar suspiros de democracia, a liberdade firmou-se como fundamental e sem ela a vida passou a não fazer sentido.

Foram anos de um CALE-SE imperioso. Os sonhos e a expressão ofuscaram-se por um momento histórico amargo e muito, muito obscuro e que depois de muitas perdas, e muitas lutas, pôde reestabelecer minimamente a liberdade através da Constituição Cidadã. 

De lá pra cá manter e ampliar as formas de liberdade, igualdade e fraternidade tem sido uma luta permanente que faz bem para o Estado Democrático de Direito e desenvolve o amadurecimento social e da própria nação. Porém, não é um processo simples.  

Sustentar a democracia tem muitos ônus. Democracia não combina nada com desigualdade social, com corrupção, com preconceito, com autoritarismo, com sectarismos extremos, com radicalismos ou fanatismos. E infelizmente nossa estrutura social ainda é muito permeada por esse tipo de comportamento ou posicionamento. Ainda temos um longo caminho de evolução social e democrática. 

O que mais assusta é que muitos desses grupos arcaicos e atrasados, ao invés de irem sendo reduzidos e diluídos na dinâmica social, têm ganhado força e crescido nos últimos anos. Por incrível que pareça, parece que estamos dando alguns passos largos para trás na história.  

E o termômetro para essa constatação é quando a censura, a agressão e os fanatismos ganham espaço e comprometem a vida e a segurança das pessoas. E por outro lado, a liberdade de expressão, de opinião e de imprensa sofrem cerceamentos e repressões. Ou seja, quando o CALE-SE, volta a ser usado e pior, aplaudido, aí nossa preocupação deve ser redobrada. 

O mundo não precisa mais de ditaduras, fascismos, totalitarismos, privações de liberdade, violências e nada que fira a pluralidade dos sujeitos, a diversidade de opiniões e em especial a livre manifestação da liberdade sadia. Claro que quando uma crença, uma ideologia ou um posicionamento opinativo prejudica a liberdade do outro, não é possível admiti-lo.  

Mas, quando o posicionamento cabe dentro de uma perspectiva democrática e respeita as demais opiniões, ele deve sempre ser garantido pelo direito máximo à liberdade.  

A vida não tem mais sentido sem a liberdade. E o país, a sociedade, que não sustenta isso, está fadado ao total fracasso e a deterioração social. CALAR é sinônimo de destruir. 

Amordaçar é o mesmo que matar. Portanto, uma sociedade justa e perfeita é aquela que consegue articular plenamente o direito à vida ao direito à liberdade plena.