Educação engajada na prevenção ao coronavírus e contra as fake news

Educação engajada na prevenção ao coronavírus e contra as fake news

13 de março de 2020 0 Por Francisco Avelino

Em reunião com os diretores da escolas da rede municipal, na tarde desta sexta-feira (13/03), a secretária de Educação de Maricá, Adriana Costa, destacou como fundamental a atuação dos profissionais do setor para as ações de prevenção que ajudem a conter a propagação do coronavírus e também das fake news sobre o tema.

Segundo Adriana, a antecipação do recesso escolar decretado pelo estado para a rede pública e particular estadual não será seguida ainda pelo município nesse momento.

“Isso nos dará o tempo necessário para avaliar a evolução do quadro local”, disse a secretária. “A decisão de manter as aulas é até pela necessidade de orientar as crianças sobre o cuidado também com os avós, já que os idosos são o grupo de maior risco. As equipes das escolas devem reforçar ainda a orientação aos pais dos alunos, quanto aos cuidados a serem tomados para impedir o contágio. E vocês [diretores] devem se informar pelos canais oficiais da prefeitura de Maricá”, explicou.

A secretária também assegurou que o pessoal de apoio terá atenção redobrada com a limpeza e higiene nas escolas, que serão abastecidas com sabonete líquido e álcool gel, elementos importantes na prevenção ao contágio.

Também presente à reunião, Gilson Andrade, coordenador adjunto do Núcleo de Educação Permanente em Saúde (NEPS) da Secretaria de Saúde ressaltou a importância de rechaçar as notícias falsas sobre o tema. “É fundamental que vocês saiam daqui convictos de que a situação está sob controle”, afirmou, acrescentando que o Ministério da Saúde já lançou um aplicativo para celular sobre o coronavírus, que é atualizado constantemente com dados técnicos.

Gilson também orientou os diretores a avaliar cada caso suspeito de maneira individual. “Se há um aluno muito gripado, por exemplo, orientem-no a ficar em casa, mas expliquem aos responsáveis que essa é uma medida de prevenção, até para evitar que essa criança sofra bullying na escola. Num caso assim, é importante também comunicar à unidade de saúde mais próxima da escola”, disse ele.