Museu da Vigilância Sanitária começa a funcionar nesta terça, (4)

Museu da Vigilância Sanitária começa a funcionar nesta terça, (4)

fevereiro 4, 2020 0 Por Francisco

Prefeitura do Rio conta a evolução da saúde pública no novo cultural que reúne mais de 200 peças do século passado

O Museu Histórico Sanitário Municipal Júlio de Azurém Furtado abre suas portas à visitação nesta terça-feira, dia 4. Inaugurado na última sexta-feira, 31, na Avenida Pasteur, em Botafogo, o já chamado Museu da Vigilância Sanitária reúne curiosidades como a ovelha de duas cabeças conservada no formol e entra em ação marcando mais um ineditismo da Prefeitura do Rio: é o primeiro espaço cultural do gênero em todo o país.

O acervo de mais de 200 peças dá vida à exposição permanente “De 1917 a 2019: mais de 100 anos de história”, que vai integrar as atividades educativas dos alunos da rede municipal de ensino, com visitas guiadas de terça a sexta, das 10h às 16h.

Um dos serviços oferecidos no novo Complexo Zona Sul da Vigilância Sanitária do Rio, o museu conta a evolução das ações de vigilância sanitária e do combate a zoonoses na cidade. São peças como fotografias, ferros de marcação de gado, documentos e outras curiosidades como o feto de um equino. 

– É importante conhecermos o passado para pensarmos no futuro e evitar que doenças reemergentes como febre amarela, leishmaniose e mormo retornem à cidade – ressaltou Márcia Rolim, subsecretaria de Vigilância, Fiscalização Sanitária e Controle de Zoonoses.

Na inauguração do museu na sexta-feira, a Vigilância comemorou o primeiro ano do Código Sanitário Municipal com um recorde: as 77 mil novas licenças sanitárias emitidas já em 2019, um crescimento de quase 800% em relação aos 9,7 mil registrados nos dois últimos anos da gestão anterior. O evento reuniu diversos empresários, como Luís Marins, presidente da Associação de Farmácias do Estado do Rio de Janeiro, que falou em nome dos segmentos representados, elogiando o trabalho desenvolvido pela Vigilância.

– Nosso segmento, durante muitos anos, era de estabelecimentos legalizados que viviam na ilegalidade. Muitas vezes fomos penalizados pela ineficiência do poder público, e hoje o município é uma referência nacional pelo trabalho que tem sido desenvolvido. Hoje temos no Rio de Janeiro a melhor Vigilância Sanitária do país.


Conquistas do Código – O início da vigência do novo Código Sanitário foi marcado pela adesão das empresas ao processo de licenciamento mais ágil, o que  impulsiona a economia do Rio. Em 2019, a Vigilância registrou 77 mil novos licenciamentos, sendo que em 2017 foram 15.703 e em 2018, 17.210. Nestes três anos da atual gestão, são quase 111 mil licenças concedidas, um aumento de mais de 1.000% em relação aos dois últimos anos da gestão anterior.

– A participação do empresariado ajuda a confirmar os avanços e ganhos conquistados pela atual gestão – afirmou Márcia Rolim.

Assessoria de Comunicação Social Subsecretaria de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses Secretaria Municipal de Saúde – Prefeitura do Rio