Telescópio capta choque de planetas a mais de 300 anos-luz da Terra

Telescópio capta choque de planetas a mais de 300 anos-luz da Terra

26 de outubro de 2019 0 Por Francisco Avelino

Câmera infravermelha detectou evidências de uma colisão relativamente recente, a partir da presença de poeira aquecida

Concepção artística do choque dos exoplanetas: a poeira aquecida num sistema estelar já maduro foi a principal evidência da colisão. Crédito: Nasa/SOFIA/Lynette Cook

Um vislumbre dramático das consequências de uma colisão entre dois exoplanetas está dando aos cientistas uma visão do que pode acontecer quando planetas se chocam. Um evento semelhante no Sistema Solar pode ter formado nossa Lua.

O incidente ocorreu no sistema binário BD +20°307, que fica a mais de 300 anos-luz da Terra. Suas duas estrelas têm pelo menos um bilhão de anos. No entanto, esse sistema maduro mostrou sinais de detritos empoeirados em turbilhão que não são frios, como seria de esperar em estrelas dessa idade. Em vez disso, os detritos são quentes, reforçando que foram produzidos em tempo relativamente recente pelo impacto de dois corpos do tamanho de planetas.

Há uma década, as observações desse sistema por observatórios terrestres e pelo Telescópio Espacial Spitzer, da Nasa, deram as primeiras pistas dessa colisão quando os detritos quentes foram encontrados. Agora, o Observatório Estratosférico de Astronomia Infravermelha (Stratospheric Observatory for Infrared Astronomy, ou SOFIA) revelou que o brilho infravermelho dos detritos aumentou mais de 10% – um sinal de que agora existe ainda mais poeira quente.

Revista Planeta