Polícia acha cemitério clandestino em Itaboraí, RJ, e investiga se foi usado por milicianos

Polícia acha cemitério clandestino em Itaboraí, RJ, e investiga se foi usado por milicianos

julho 5, 2019 0 Por Francisco

Grupo paramilitar de Orlando Curicica, alvo de operação na última quinta-feira (4), pode ter matado mais de 50 pessoas.

Policiais da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo encontraram nesta manhã de sexta-feira (5) um cemitério clandestino em Itaboraí, na Região Metropolitana.

De acordo com as investigações, o local seria usado pela milícia que atua na região. O grupo paramilitar foi alvo da Operação Salvator, que na quinta-feira (4) prendeu 50 pessoas.

Há a suspeita de que a quadrilha, comandada por Orlando Curicica, matou pelo menos 50 pessoas e sumiu com os corpos.

Já foram encontrados corpos e ossadas no terreno, na zona rural de Itaboraí.

Segundo a polícia, rivais ou vítimas da milícia de Itaboraí eram chamadas de “discos voadores”, por desaparecerem de uma hora para outra sem deixar rastro.

Espada apreendida pela polícia em Itaboraí e que seria usada pela milícia local — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Espada apreendida pela polícia em Itaboraí e que seria usada pela milícia local — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Ultraviolência

A força-tarefa que levou à Operação Salvator descreve a quadrilha como “brutal” e “com requintes de crueldade”.

Há relatos de expulsões, mutilações e sumiços – a que chamavam de “discos voadores”. “Um chegou a tirar o coração de uma vítima, a cabeça”, citou o delegado Gabriel Poiava.

“E a gente tem comprovado homicídios praticados, inclusive com esquartejamento de vítimas. Eles são bastante violentos e têm um armamento muito, muito poderoso”, explicou o promotor Rômulo Santos Silva.

Entre as apreensões feitas pela polícia está uma espada. Moradores denunciam que a arma vinha sendo usada nas comunidades para torturar pessoas.

“Até espada eles tinham. Eles rodavam muito dentro de Visconde com uma espada com a lâmina que chegava a brilhar. Para fazer covardia com quem as vezes não tinha nem nada a ver. Foram expulsas muitas famílias de lá. Muita gente se mudou por medo. Itaboraí está praticamente largado às traças, está um caos total”, explica uma moradora.

Por Felipe Freire, TV Globo G1